Desde que sai de casa, parece que a coisa mais importante que aprendi foi: ficar em casa é sempre a pior opção. Nos dois sentidos, o de ficar no ninho do conforto ou ficar em casa, no sentido literal. Você merece viver novas coisas. Passar por perrengues. Desfrutar de uma liberdade independente de que não usufruiria caso estivesse no comodismo inerente do seu lar habitual.

Sei lá, você aprende a cuidar de si mesmo de uma forma autêntica porque inventa modos próprios para fazer as coisas que sempre fez ou a partir de agora precisa fazer. Se você está em um lugar estranho não há ali ninguém que fique lembrando como você é. Quiçá, não há também alguém que se surpreenda por uma atitude pouco provável que seria provinda de você. Você se reinventa. 

Não fique em casa

by on 11:40
Desde que sai de casa, parece que a coisa mais importante que aprendi foi: ficar em casa é sempre a pior opção. Nos dois sentidos, o ...