Foto: Verônica Borges

1. Você não é obrigado (a nada)
Essa é a filosofia de vida mais genérica de todas porque se adequa a qualquer situação. Sim, você não é obrigado a fazer o que não quer, ir, viver, ser o que não quiser ser... Se tem uma coisa necessária que herdamos do Estado Liberal (para a galera de exatas, é basicamente aquele Estado que não se preocupava com sua função social, só com a aplicação bruta das leis), é a liberdade. Então se a liberdade tá aí pra gente usufruir e, às vezes, ficamos desconfortáveis por determinada situação que em parte é mais impulsionada pela vontade dos outros, lembre-se: não, você não é obrigada a nada. So, do whatever you want.

2. Enjoy
Você está numa festa com uma música ruim e de repente, já se vê reclamando e incomodado com isso. Migo, se não for para fazer nada – você poderia ir muito bem pedir para tocarem outra coisa, o que te impede de fazer isso? –, melhor nem começar com esses pensamentos controladores. Essa necessidade de manter controle sobre tudo desperdiça a oportunidade de vivenciar novidades e torna negativa sua sincronia com o ambiente. Tá, e daí que a música tá ruim? Aproveita para dançar com os amigos que estão ali, de repente criar uma coreografia babaca ou fazer novas amizades com uma galera esquisita que está ali perto. Depois, tudo vira história para contar! Aproveitar o momento é a coisa que mais demorei para aprender nessa vida, e olha, é um processo constante

3. Culpe-se menos
Essa seria uma das ferramentas para praticar o item 1 e 2. Portanto, pare de se culpar porque o perfeccionismo e a necessidade de controle te impede de muita coisa, inclusive praticar o Deboísmo. Partindo do pressuposto de que ninguém é obrigado, culpe-se menos para aproveitar os momentos! 

4. Hobby, para quê te quiero
Pode ser um esporte, uma religião, uma atividade (blogar, trabalho voluntário, por exemplo) ou outras milhares de coisas. Desempenhar uma tarefa que é um instigante para você é ótimo para os momentos de bad, stress ou quando você está numa crise existencial interminável. Ter um hobby é como um amparo para estes momentos. Portanto, quanto mais cedo você descobrir o seu – que óbvio, pode eventualmente  mudar ao longo da vida –, melhor.

5. Falei foi audácia!
É legal ter ousadia, seja nas coisas mais radicais ou mais simples. Vale escalar o pico mais alto do seu estado, tomar atitude em relações amorosas ou o raio que o parta! Ser ousado, na medida do bom senso, impede frustrações por perspectivas e, de certa forma, deixa você mais desapegado. Quando você encara o medo de ousar, torna-se de certo mais resistente.

E vocês, quais foram as lições que tiraram ao longo da vida?